Páginas

quarta-feira, 4 de julho de 2012

MÍDIAS E GINÁSTICA

                                         

As mídias (jornais, revistas, televisão, cinema, outdoors, internet, etc.) são as principais responsáveis pela difusão de um modelo de beleza em nossa sociedade. Em jornais, revistas, televisão ou cinema o “ideal” de beleza feminina é associado à juventude, pele e olhos claros, magreza, corpo cheio de “curvas” etc. , assim como em relação à beleza masculina esse conceito é associado a homens jovens, brancos, magros e musculosos.
Algumas teorias da comunicação sugerem que as mídias possuem a capacidade de nos convencer e persuadir, e a propaganda, por exemplo, criaria necessidades de consumo, e por isso compramos coisas que, se pensarmos bem, não precisaríamos. Outras propõem que as mídias não intervêm assim tão diretamente, mas influenciam o modo como construímos a imagem da realidade social e como escolhemos os assuntos que julgamos ser importantes para nossa vida, modelando, portanto, nossos modos de pensar, sentir e agir.
De qualquer modo, há consenso de que as mídias exercem influência decisiva no âmbito da Cultura de Movimento, ao propor entendimentos do que são e para que servem o esporte, a ginástica, a dança etc., e fazem isso não de modo “neutro” ou balizados apenas por critérios técnico-científicos, mas de modo interessado, para vender, além de si mesmas, produtos e serviços. Por isso, as mídias não só divulgam o esporte, a ginástica etc., mas são agentes que participam decisivamente no processo de transformação dessas práticas (mudança de regras nos esportes, por exemplo) e na constituição de novas formas de consumo (vestuário esportivo, equipamentos como esteiras rolantes e aparelhos de eletroestimulação muscular etc.).
Por sua vez, a ginástica, em seus vários tipos e formas, é associada à busca desse ideal. Basta prestar atenção em revistas voltadas ao público adolescente e jovem (em especial às meninas), à venda em qualquer banca de jornais, e constar o que apenas sugerem ou prometem explicitamente – emagrecimento (em conjugação com dietas, cosméticos e cirurgias), definição e hipertrofia muscular. Nota-se ainda a tendência de indicar a ginástica aeróbica, a caminhada e a corrida com o objetivo de perder calorias (e, portanto, emagrecer), e a ginástica localizada e a musculação para definição e hipertrofia muscular. Para as mulheres, enfatizam-se os exercícios para glúteos e coxas, e para os homens, braços e peitoral.
Percebe-se ainda que as matérias que sugerem programas de exercícios, ou as propagandas de equipamentos domésticos (para realizar exercícios abdominais, por exemplo), prometem efeitos rápidos, com pouco esforço. Raramente é apresentada alguma fundamentação técnico-científica coerente e adequada para validar tais promessas.
Poucas vezes, em matérias publicadas em revistas ou em jornais, em programas televisivos ou em propagandas, a ginástica é associada ao desenvolvimento, possível para todos, de uma boa condição física geral, ou a bem-estar, relaxamento, sociabilização etc.
A escola precisa apostar no desenvolvimento da capacidade crítica dos alunos diante das mídias – e “criticá-las”, a partir de uma análise dos critérios que presidem um fenômeno. Isso porque os consumidores das mídias (todos nós, na condição de leitores, telespectadores etc.) não são necessariamente passivos diante delas; somos capazes de desvendar os mecanismos dos seus discursos (construídos com palavras, sons e imagens), isto é, interpretá-los criticamente. Para isso, é preciso que a escola posicione-se como mediadora entre os alunos e as mídias, fornecendo-lhes os instrumentos para efetuarem tal interpretação crítica e, dessa maneira, compreenderem-se melhor como leitores, telespectadores etc.
A Educação Física como disciplina escolar precisa apresentar aos alunos atividades que permitam evidenciar os interesses e as estratégias das mídias no âmbito da Cultura de Movimento (em especial no campo do esporte e da ginástica). Isso contribuirá para a formação de cidadãos críticos diante dessas agências sociais tão importantes no mundo contemporâneo.
Possibilidades interdisciplinares
Professor, o tema mídias e ginástica poderá ser desenvolvido de modo integrado com a disciplina Filosofia, na medida em que envolve conteúdos como “mercado do corpo” e “gênero”, com Língua Portuguesa e Literatura, na produção de textos, e com Arte, na produção de uma capa de revista ou de uma dramatização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário